Subscribe:

Ads 468x60px

Featured Posts

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Como impedir que o “lixo” da TV entre em seu lar.

Por Domingos Siqueira
Em quase todos os lares brasileiros há pelo menos um aparelho de TV. E as programações oferecidas pelas emissoras são bem diversificadas, já que a ideia é atender a todos os públicos, desde crianças a adolescentes até adultos e idosos.
Infelizmente, essa variedade de programas não é traduzida em qualidade. Ao contrário. Um verdadeiro lixo eletrônico tem sido despejado no seio familiar. A guerra pela audiência tem tirado a sensatez e introduzido inspirações nada saudáveis.
Sabemos que boa audiência traz anunciante e que anunciante representa receita para as emissoras. Nada de errado quanto a isso. O grande problema são os meios usados para alcançar essa audiência. Em alguns casos, eles são extremamente apelativos e pode-se até considerá-los deploráveis.
O desejo de aumentar o ibope tem levado muitos à insensatez. Parece que estão totalmente desesperados e, por isso, extrapolam em ideias que beiram a insanidade e ferem a consciência e o bom senso.
Ninguém ao andar pelas ruas, por exemplo, gostaria de deparar com cenas de sexo explícito. Uma mãe certamente cobriria o rosto da sua criança para não ver tais coisas. Mas o que muitos não percebem é que tudo isso está acontecendo dentro do lugar mais sagrado para o ser humano: o seu próprio lar. A sujeira que está na mente de muitos autores ganha forma na televisão. São imagens monstruosas que ofendem não somente a fé cristã como também a moral e a decência.
Qual mensagem eles querem passar para as nossas crianças e para os nossos jovens? A de que tudo é normal? Ou que o importante é ser feliz e que para isso acontecer podemos fazer o que bem entendermos sem sofrer nenhuma consequência? Será que liberdade de expressão virou sinônimo de libertinagem? Onde está o equilíbrio? Será que não temos o direito de ligar a TV sem nos sentirmos constrangidos diante de nossos filhos?
Nada influencia mais do que a televisão. Basta uma atriz ou uma “celebridade” aparecer com um corte de cabelo diferente para que logo apareça uma legião de imitadores. Isso vale também para as roupas e, pasmem, até a maneira de falar é imitada. Você, provavelmente, deve se lembrar de alguns “jargões” que viraram febre em todo o País depois de terem aparecido em alguma novela.
Uma verdadeira cultura inútil! Mas o pior de tudo é a imitação de valores deturpados que são apresentados. É claro que nem tudo é negativo, mas pouca coisa se aproveita. E olha que estou sendo otimista.
Por isso, cabe a cada um defender a sua família. Na sua casa, quem manda é você. Diga não à pornografia e à depravação moral que têm destruído as famílias.
Não deixe que as sujeiras televisivas contaminem seu lar e principalmente a sua mente. Pense por si mesmo. Não permita que outros decidam sua vida, seu comportamento e exerçam influência em suas escolhas e decisões.

domingo, 19 de abril de 2015

Prejudicando a saúde em nome da beleza.

Uma tendência perigosa ganha repercussão entre as gestantes. Será que seguir um padrão estético é mais importante que o bem-estar do bebê?

Qual é o limite entre a saúde e o padrão de beleza? Dietas mirabolantes e restrições alimentares extremas estão entre os hábitos de muitas mulheres que vivem em busca de um corpo considerado perfeito para os padrões da moda. Elas se preocupam muito mais com a aparência e menos com as consequências que esses radicalismos podem causar.
No mês passado, as fotos da modelo Sarah Stage, de 30 anos, despertaram a atenção do mundo inteiro. Grávida, ela exibiu em seu perfil do Instagram curvas bem definidas e uma barriga levemente acentuada. A imagem não seria tão polêmica se Sarah estivesse no início da gestação. Mas ela estava no oitavo mês e, ainda assim, a barriga era “sarada” e quase imperceptível. Um questionamento veio à tona: a vaidade estética deve ser mais importante do que a saúde de um bebê em formação?
Sarah tem mais de 1 milhão de seguidores na rede social. Os comentários e críticas não tardaram a aparecer. Houve ainda quem a considerasse um exemplo a ser seguido. Aproveitando a repercussão da modelo, a revista norte-americana Cosmopolitan produziu uma matéria para mostrar o que é preciso fazer para manter a barriga sarada enquanto o bebê não chega. O que deveria ser um alerta de risco se torna uma tendência. Perigosa, sim, sem dúvida.
O ganho de peso é importante para que o bebê possa ter um desenvolvimento adequado, além de ser fonte de energia para as mamães. As gestantes que se alimentam de forma correta e saudável minimizam os riscos durante a gravidez e o parto. Vale lembrar que a alimentação equilibrada deve ser sempre mantida.
Extremos
Tanto a falta de peso quanto o excesso são prejudiciais para o bebê. De acordo com um estudo publicado no ano passado pelo American Journal of Obstetrics and Gynecology, engordar muito pode elevar o risco de obesidade e sobrepeso dos filhos.
O mesmo pode acontecer quando a mãe não engorda o suficiente. Segundo as pesquisas, 20,4% das mulheres que engordaram muito tiveram filhos com sobrepeso. O mesmo aconteceu com 19,5% das mulheres que ganharam menos peso do que deveriam.
Entre as gestantes que engordaram o necessário, apenas 14,5% tiveram filhos acima do peso. Ou seja, o importante é que a mãe mantenha um equilíbrio saudável, para garantir a saúde dela e, principalmente, do bebê. Colocar a saúde do filho em risco, por conta de uma ditadura violenta de beleza, não é uma atitude responsável ou adequada para uma mãe que deseja o melhor para o seu próprio filho.

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Quando ela vive implorando amor.

Entenda por que muitas mulheres aceitam migalhas de atenção e descubra como construir um relacionamento saudável


Por Ana Carolina Cury / Foto: Fotolia e Arquivo Pessoal
Ele quase nunca telefona para você nem faz questão de saber nada sobre a sua vida e, apesar disso, você insiste em procurá-lo? Ele já disse que não a ama, mas ainda assim você acredita que com o tempo tudo irá mudar? Cuidado: se suas respostas para essas perguntas foram sim, você corre sérios riscos de sofrer nessa relação.
Pauliana Maria da Silva Lima, de 27 anos, vendedora, só aprendeu a se valorizar depois de muito sofrimento. Na adolescência, ela passou anos recebendo “migalhas” de atenção do ex-namorado. “Vivia sempre atrás dele, implorando para que ele ficasse comigo. Eu achava que não conseguiria viver se o namoro terminasse”, lembra.
O rapaz reagia da pior forma: a ignorava. E isso parecia um ímã: quanto mais indiferente ele era, mais Pauliana corria atrás dele. “Lembro que ele me chamava de chiclete e me humilhava constantemente. Ele sabia que eu não iria brigar. Estava cega e vivia implorando atenção”, assume.
Por desejar tanto esse amor, a vendedora chegou ao ponto de fazer feitiços para tê-lo ao seu lado. “Joguei terra de cemitério em cima do telhado dele, mesmo assim não deu certo. Foi pura ilusão. Sabia que ele não sentia nada por mim, apesar de estar comigo. Minha tristeza era tanta que tinha pensamentos constantes de suicídio”, revela.
É preciso enfrentar a realidade
Enquanto ela conta sua história um questionamento me vem à mente: se o jovem não a amava, por que ele permanecia naquele relacionamento? Denise Moreno Pereira, especialista em clínica psicanalítica, explica que muitas pessoas se acomodam em relações desse tipo porque o outro faz tudo por elas.
E era o que acontecia no namoro de Pauliana. Um ano depois, as humilhações foram além das palavras, ou da falta delas, uma vez que o desprezo era a base do relacionamento dos dois. “O flagrei com uma mulher mais velha do que eu. Com muito ciúme, disse para que escolhesse: ou eu ou ela. Naquele momento ele não falou nada e deu a entender que se eu quisesse continuar com o namoro teria que aceitar a traição”, desabafa.
Naquele dia, a “ficha” dela caiu. Ao se dar conta de que o sentimento de amor só existia da parte dela, a decepção fez com que Pauliana aceitasse o convite de uma vizinha para ir a uma Universal. “Em meio ao desespero aceitei. Comecei a ir às reuniões e, com o tempo, entendi que precisava me amar primeiro para amar alguém depois. Aprendi, colocando em prática o que ouvia, como me valorizar”, ressalta.
Quando ela venceu seus medos e traumas descobriu que uma relação sadia não tinha nada a ver com o que ela conhecia até então. “Conheci meu esposo e hoje tenho uma relação de verdade. Meu marido é atencioso e proporciona muita felicidade em nossas vidas”, comemora.
Descobrindo as raízes
Para Tatiane Fidelis da Silva, psicóloga clínica cognitivo-comportamental, mulheres que imploram o amor do outro, em geral, são pessoas que possuem baixa autoestima, insegurança e carência. “Elas buscam a aprovação e aceitação e isso gera um relacionamento nada saudável e com grandes chances de dar errado”, explica.
Os apresentadores Renato e Cristiane Cardoso recebem constantemente pedidos de orientações de quem quer atenção e amor do parceiro. E respondem que “não há nada mais triste do que ver uma mulher ou homem se humilhando, implorando por uma migalha de amor e atenção do parceiro. Lágrimas, cenas de ciúmes, brigas, drama, sujeição a situações e comportamentos absurdos — tudo isso por um pouquinho de ‘amor’”, diz Renato.
Ele revela que a melhor estratégia para atrair a pessoa amada é, em primeiro lugar, parar de ir atrás dela. “Daí comece a investir no seu próprio valor. Torne-se uma pessoa desejável. Ame-se primeiro. Não condicione sua felicidade à atenção daquela pessoa. Seja feliz sem ele (a). Já percebeu como somos atraídos por pessoas felizes?”, completa.
Nanda Bezerra, escritora e palestrante, acrescenta que para vencer um sentimento que só traz decepção a mulher precisa se livrar das dúvidas. “Não vou dizer que não vai doer, mas vai passar e depois você vai ver do que se livrou. Precisamos nos amar como Deus nos ama e nos dar o valor que Ele nos dá”, ressalta.
Ela ainda desafia quem está passando por essa situação a começar uma mudança o quanto antes. “Você precisa se valorizar, se amar, crer no seu potencial”, propõe. Que tal tentar descobrir o porquê você tem sido tão carente e tomar uma atitude para mudar? Comece hoje sua transformação e inicie uma nova vida.

domingo, 12 de abril de 2015

O Reino dos Céus É Para Quem Sacrifica.


Resultado de imagem para O Reino dos Céus É Para Quem Sacrifica.


Talvez o leitor pergunte o porquê da insistência no assunto sacrifício. Seria mais cômodo não falarmos sobre sacrifício. Não nos exporíamos às críticas, a mensagem ficaria mais leve, atenderia a gregos e troianos e ninguém sairia ferido.

Todavia, como não trabalhamos segundo as regras deste mundo, como não somos mercadores da Palavra, como não vivemos da venda de livros e como não concorremos a cargo político, optamos por obedecer a inspiração do Espírito de Deus e anunciar e verdade que liberta.

Quem crê, vai. Quem não crÊ, fique com as virgens néscias.
O fato é: quando o pecado não mata de uma vez, judia do pecador até a morte.
Muita gente, crente ou não, tem gemido e não sabe mais o que fazer para livrar-se disso.

O espírito do pecado tem possuído a humanidade e tem-na conduzido ao caos.
Apesar de muitos conhecerem o Evangelho, ainda assim, um mínimo tem tido coragem para colocá-lo em prática e habitar no abrigo de Deus.
Mas a maioria prefere aderir às mensagens de salvação fácil e assim evitar o sacrifício da carne.

Enquanto isso, espíritos enganadores e anticristãos tem operado livremente, fazendo até o povo que tem crido em Deus, sofrer de forma implacável.
Estes últimos dias não tem sido diferentes de João Batista. Naqueles tempos, ele não apenas pregava arrependimento, mas, também, conduzia os judeus sinceros a confessar e abandonar seus pecados. Mateus 3.1-10.

Agora, neste momento, não seria essa vontade de Deus para sua vida? O que adianta você buscar ajuda de  Deus na Igreja e lá fora continuar na vida de adultério, prostituição, roubo, mentira, etc.

A quem você pensa que engana?
O que você pensa que vai ganhar?
Até quando vai sustentar esse espírito de pecado em você?
O pecado é um espírito. Quem diz sim a ele, diz sim ao seu espírito.

Como sair dessa prisão?
Sacrificando sua carne até ao ponto dela morrer de fome.
Claro!
Se você sacrificar a carne, onde o espírito do pecado vai habitar?

Se você quer resposta urgente de Deus, então sacrifique urgentemente por Ele. Porém, se não abrir mão da vida de prostituição, adultério, mentiras, roubos, corrupção e tudo o mais que agrada a diabo, como O Espírito de Deus poderá agir em sua vida?

quinta-feira, 9 de abril de 2015

Para Que O Espírito Santo?


Resultado de imagem para pra que O Espírito Santo


A certeza absoluta não surge por acaso nem se consegue por meio de sorte. Ela vem pela ação direta do Espírito Santo nos humildes de espírito. O Espírito de Deus ensina: " A profecia não é para os incrédulos e sim para os que crêem". (1 Coríntios 14:22). Mas quem são os que creem? Creem os que foram convencidos pelo Espírito de Deus. A revelação das promessas, ou, o convencimento das promessas, não é como a chuva ou o sol que vem sobre todos, mas, é uma dádiva ou um dom de Deus para os escolhidos, conforme lemos em Mateus 20.16 e 22.14: "Porque muitos são chamados, mas, poucos escolhidos."

Não sabemos exatamente quantos e quem são os escolhidos. Contudo, a julgar pela parábola do semeador, chega-se à conclusão de que, em cada quatro pessoas chamadas, apenas uma é escolhida. é extremamente difícil aceitar tal conclusão, mas, avaliando as circunstâncias nas quais O Senhor separou os escolhidos, surpreendemo-nos ainda mais. Numa escolha há sempre o julgamento. Não há escolha se não houver primeiro um julgamento.

As duas vezes que O Senhor Jesus fez menção aos escolhidos, situou os muitos chamados. A primeira vez aconteceu no "acerto de contas" com trabalhadores: os últimos contratados trabalharam menos que os primeiros; e além de terem sido os primeiros a receber o salário, também receberam o mesmo valor que os últimos, porque eles eram os escolhidos.

A segunda vez aconteceu na festa de casamento do filho do rei, quando este notou um intruso entre os convidados. Ele não estava vestido adequadamente; então, foi lançado nas trevas com as mãos e as pernas amarradas. O intruso não era um dos escolhidos. A revelação divina é loucura para os que se perdem, mas, é o poder de Deus para os escolhidos! Nem todos tem o conhecimento de Deus, porque a revelação do Espírito Santo não foi dada a todos. O conhecimento divino não vem através da capacidade intelectual ou da quantidade de informações bíblicas. Ele vem pela aceitação e submissão à pregação do Evangelho. A Palavra é anunciada e, então, O Espírito de Deus revela aos escolhidos. Se a Palavra não é anunciada, como O Espírito poderá revelar?

Deus salva os que creem pela loucura da pregação.

quinta-feira, 2 de abril de 2015

Morte.

Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. 2 Timóteo 4:7


Muitos não gostam de falar sobre a morte. Uns dizem: Deus me livre! Acham que iram viver eternamente, outros dizem: estou preparado, sabendo que existe salvação, sabendo que está salvo. Mas, e os que ficam? Saudade? Dor? Tristeza? Por que não boas lembranças?

Quando minha mãe foi pra Jesus, não fiquei triste, sabia que Deus a chamava para o Seu lado, sabia que ela tinha completado a carreira dela. Senti falta? Sim. Mas, não posso ser egoísta. Se O Senhor Jesus queria ela do Seu lado, é porque Ele viu que ela já tinha feito tudo. E Ele a queria do Seu lado. E ela não morreu triste, com a cara amarrada, como muitos que já vi em enterros. Ela morreu dormindo, parecia que ela estava dormindo profundamente e tendo um sonho muito bom. Quando a vi no caixão, percebi na hora que ela não sofreu, que Deus a tinha levado para perto dEle e, sinceramente, ela está muito melhor do que nós, que ainda não completamos a nossa carreira.

Tenho ótimas lembranças dela, vez ou outra, lembro das brincadeiras que eu fazia com ela, das pegadinhas, isso é uma lembrança boa, lembro também das lutas, dos conselhos, enfim, coisas boas. E é assim que devemos lembrar-nos dos entes queridos que se foram.
Pessoas que Nascem de Deus aprendem a lidar com as perdas. Não que não ame, ama sim os seus familiares, só não tem o coração neles. O coração pertence Ao Senhor Jesus. Pessoas que amam demais sofrem demais e, infelizmente, alguns se suicidam ou matam. Amar demais nunca é bom.

A vida continua para os que ficam.  Seguir em frente é o que se espera daqueles que perderam alguém. O Espírito Santo é Consolador. Aqueles que ainda não tiveram a experiência de ser consolado por Deus busquem-O. 

Fique com Deus.

quinta-feira, 26 de março de 2015

Será que os anjos continuam entre nós?

Veja o que a Bíblia diz sobre isso

A palavra “anjo” significa mensageiro e, de acordo com a Bíblia, eles são enviados por Deus com diferentes propósitos. “Não negligencieis a hospitalidade, pois alguns, praticando-a, sem o saber acolheram anjos.” Hebreus 13.2
Recentemente, um caso nos Estados Unidos levantou essa questão. Um bebê (foto ao lado, com a mãe) , de apenas 1 ano e meio de idade, sobreviveu por 14 horas a um frio glacial ao lado da mãe, de 25 anos, que morreu após o automóvel em que estavam cair de uma ponte, no estado de Utah. A menininha resistiu à queda e às longas horas sem água e comida. O carro, que estava com uma parte no rio, foi encontrado por um pescador, no dia seguinte. Ele ouviu a voz de uma mulher vinda do veículo. “Ajude-nos, estamos aqui dentro.” Porém, os laudos médicos confirmaram que a mãe, possivelmente, morreu na hora do impacto do acidente.
Então, de quem era aquela voz? Quem pediu por ajuda dentro do carro? Poderia ser a voz de um anjo? Uma coisa é certa: milagres ainda acontecem nos dias de hoje. O bebê foi salvo graças a isso.
A Bíblia fala sobre anjos. Conheça 5 razões citadas na Palavra para Deus enviá-los:
1. Para trazer uma mensagem enviada por Deus
Existem muitos exemplos na Bíblia de quando Deus enviou um anjo para trazer uma mensagem específica a uma pessoa ou a um grupo. Em Juízes 6, por exemplo, Deus enviou um anjo para o desencorajado Gideão e o fortaleceu com as palavras: “... O Senhor é contigo, homem valente.” (versículo 12)
O anjo Gabriel também foi enviado à Maria, em Lucas 1, para avisá-la de que daria à luz o Filho de Deus. O mesmo anjo foi até Zacarias com a novidade de que Isabel também seria mãe. Em Lucas 2, um anjo mensageiro contou aos pastores de ovelha sobre o nascimento de Jesus. Já em Mateus 28, um anjo apareceu no túmulo de Jesus para anunciar que Ele havia ressuscitado.
2. Para nossa proteção
Em Salmos 91, Deus deu ordem aos anjos a nosso respeito, para nos guardarem em todos os nossos caminhos.
A Bíblia cita a história de um servo que recebeu um livramento Divino dentro de uma cova cercada por leões. O Senhor enviou um anjo para fechar a boca dos animais e não permitir que nenhum dano o atingisse (Daniel 6.22).
“O anjo do SENHOR acampa-se ao redor dos que o temem e os livra.” Salmos 34.7
Eliseu fez uma oração para que o servo dele enxergasse um exército de anjos acampados na cidade. “... O SENHOR abriu os olhos do moço, e ele viu que o monte estava cheio de cavalos e carros de fogo, em redor de Eliseu.” 2 Reis 6.17
3. Para fortalecer os que creem
Deus envia anjos também para o fortalecimento espiritual. No jardim do Getsêmani, o Senhor Jesus orou, se preparando para o que estava por vir. E então um anjo apareceu para renová-Lo (Lucas 22.43). Outro episódio aconteceu com Ele, depois de passar 40 dias no deserto e ser fortificado contra as tentações do diabo: “Com isto, O deixou o diabo, e eis que vieram anjos e O serviram.” Mateus 4.11
4. Para executar o julgamento de Deus
Anjos podem ser usados por Deus para executar o julgamento Divino. Em 2 Reis 19, o rei Ezequias orou com intrepidez ao Senhor, pedindo o livramento contra os inimigos. Os assírios eram conhecidos pela crueldade com os cativos. Então, naquela mesma noite, saiu o Anjo do SENHOR e feriu, no arraial dos assírios, cento e oitenta e cinco mil; e, quando se levantaram os restantes pela manhã, eis que todos estes eram cadáveres.” 2 Reis 19.35
No livro de Apocalipse, Deus, claramente, dá autoridade aos anjos para executarem Seu julgamento. “Houve peleja no céu. Miguel e os seus anjos pelejaram contra o dragão. Também pelejaram o dragão e seus anjos (..) E foi expulso o grande dragão, a antiga serpente, que se chama diabo e Satanás (...)” Apocalipse 12.7;9
5. Para louvar e adorar ao Senhor
 “Vi e ouvi uma voz de muitos anjos ao redor do trono, dos seres viventes e dos anciãos, cujo número era de milhões de milhões e milhares de milhares, proclamando em grande voz: Digno é o Cordeiro que foi morto de receber o poder, e riqueza, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e louvor.” Apocalipse 5.11,12
 Deus também nos lembra de que não devemos adorar aos anjos e sim somente ao Senhor (Apocalipse 4.11). Ele nos alerta ainda para não sermos enganados, porque o diabo pode surgir disfarçado em “anjo de luz” para nos enganar (2 Coríntios 11.14).
 Existe um mundo espiritual que não conseguimos enxergar com os olhos físicos, onde Deus trabalha de diferentes maneiras. Você acredita na existência de anjos ao nosso redor ainda nos dias de hoje? Deixe a sua opinião nos comentários.

domingo, 22 de março de 2015

Por que Deus permite que coisas ruins aconteçam?

Se você deseja saber a resposta para essa pergunta, não deixe de ler este texto


Quando desastres horríveis acontecem, pessoas sofrem e a destruição assola o mundo. Deus fica triste, assim como nós. Porém, muitos podem questionar: “Se Ele é Deus e pode fazer tudo, porque permite que essas coisas aconteçam?” Para saber a resposta para essa pergunta, leia a história abaixo:

Era uma vez um mundo em que as pessoas se distanciaram de Deus com o passar dos tempos, geração após geração. Então, todos desejaram viver conforme a própria vontade. Criaram culturas, valores, tecnologias e tudo o que conhecemos hoje – e não consultaram a Deus durante esse processo. Assim, Ele deixou de estar presente nas instituições e nas famílias.

Durante o desenvolvimento desse mundo, surgiam “formadores de opinião” que ditavam novas crenças e tendências para a humanidade. Alguém falou que não seria permitido fazer orações nas escolas, e todos concordaram com essa opinião. Outro alguém falou que Deus não existia, nem o Céu, nem o inferno, e muitos acreditaram nisso e se disseram “ateus”. Posteriormente, mais alguém surgiu e disse que roupas chamativas e a vaidade extrema são importantes para a autoestima das pessoas. E depois ensinaram que festas vulgares e o apelo sexual é algo divertido, válido e natural para a juventude. E surgiram mais e mais pessoas criando modelos “ideais” do que o ser humano deveria fazer. Porém, nenhuma dessas pessoas ensinou essas coisas por meio do Espírito de Deus, porque falaram que a

Bíblia era apenas um livro que meramente narrava "histórias antigas" e, por isso, não se adaptava ao mundo moderno em transformação. E todos deixaram de lê-la.
E as famílias deixaram de disciplinar os filhos; e os filhos não respeitaram mais os professores e faziam o que queriam dentro da escola. Ensinaram que para um garoto se tornar "homem" era preciso que ele soubesse se alcoolizar, e as gerações incentivaram os filhos a beber. E já que não podiam controlar os hormônios dos jovens, disseram apenas para tomarem cuidado com doenças e gravidez – como se esse conselho fosse a melhor alternativa. Assim, surgiram mães jovens e solteiras tendo de abandonar os estudos para cuidar de seus filhos. Também surgiram as traições, as orgias e outros transtornos comportamentais. Com isso, filmes e livros, como "50 tons de cinza", arrebanharam multidões aos cinemas e livrarias. A ética e a educação entre as pessoas foram abandonadas. Todos se distanciaram mais ainda de Deus. E outras pessoas surgiram questionando: "Que mundo deixaremos para os nossos filhos?” Quando, na verdade, a pergunta correta era: “Que filhos deixaremos para esse mundo?"

E Deus não pôde fazer nada, porque deu o livre-arbítrio ao homem. E disseram para negarem a Jesus, e todos negaram. Disseram que são pessoas "sem religião", quando, na verdade, Deus existe e via a tudo aquilo. Não sabiam que servir a Deus não tem nada a ver com religião, tampouco com apenas "ter boas atitudes", "ser honesto", ou "doar para a caridade" – era preciso ter o Espírito dEle.
Mas, na medida em que o homem fazia conforme a própria vontade, se aproximava mais das atitudes de Satanás, o qual – antes de toda a humanidade – achou que podia ser maior que Deus e fazer tudo sozinho, por isso desejou tomar o trono dEle e convenceu a terça parte dos anjos de que essa era uma boa ideia. Então, promoveu uma rebelião no Céu contra Deus. E mesmo ele sendo um anjo de luz teve de ser expulso do Paraíso, juntamente com os outros anjos que o seguiram – e que agora são espíritos malignos. E, assim como Satanás se distanciou do Criador no passado, agora esse mundo se distancia também.

Então, nos momentos difíceis todos questionam: "Cadê o Senhor, Deus? Por que o Senhor deixou isso acontecer conosco?" Mas se esqueceram de que deixaram a presença dEle há muito tempo. As crianças também perguntaram: “Por que o Senhor não livrou a nossa família do sofrimento?” E Deus respondeu: “Querida criança, seus pais não me deixaram entrar em sua casa.” Contudo, se as pessoas retornarem para Ele, tudo isso pode ser revertido.

Como quebrar esse ciclo e mudar o mundo para melhor?
É preciso que a humanidade torne-se para Deus completamente, de maneira sincera, aceitando ser guiada pelo Espírito Santo e pelos valores ensinados por Ele na Bíblia. Acreditando no Senhor Jesus como único Salvador.

Só podemos receber a proteção e as bênçãos de Deus se estivermos no território dEle, se estivermos dispostos a fazer conforme Ele deseja e não como achamos que deve ser feito.

Você deseja fazer parte dessa mudança?
Fale para as pessoas que convivem com você sobre a importância do Senhor Jesus na vida de todos e como elas podem fazer para tê-Lo.
Participe de encontros na Universal e convide amigos e familiares para participarem junto. Veja o endereço mais próximo aqui.

E se você tem dúvidas espirituais e deseja uma orientação, não deixe de conversar a qualquer momento com homens de Deus por meio do Pastor Online. Você será atendido e orientado.

Fonte: Folha Universal

domingo, 15 de março de 2015

Confiar e Não Desistir.

De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos, pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida. Romanos 6:4

É como diz o hino"...os que confiam no Senhor, são como os Montes de Sião, que não se abalam, mas, permanecem para sempre...". A cada bênção que estar por vir, aparecem perseguições,injustiças, lutas, desertos que parecem que nunca terá fim, mas tem! E o fim do deserto é a vitória, a bênção para aqueles que não desistiram durante o deserto. E para não desistir no meio do caminho, só nascendo de Deus.

Renúncia é a palavra para aqueles que nasceram de Deus. Sacrificaram a própria carne para obedecer e seguir Ao Deus de Israel. Nascer de Deus não é fácil e nem impossível, tanto que muitos que conquistaram e conquistam as bençãos de Deus estão de pé, na fé, até hoje.

Nascer de Deus dá força espiritual para passarmos por todos os outros desertos, perseguições e lutas que cada um enfrentou e enfrenta. Nascer de Deus é desligar-se do mundo, mesmo vivendo nele, mas, de forma diferente. Viver nesse mundo sendo nascido de Deus, sem a ansiedade e o desespero que acometem a muitos de ter, sempre ter mais, ser materialista demais. Quem nasce de Deus não tem a ansiedade do mundo materialista, sabe que, no momento certo, tudo se resolve, e, enquanto isso não acontece, continua perseverando nas orações, jejuns, buscas do Espírito Santo, enfim, continua exercendo a sua fé sem jamais desistir.

Ter uma vida abençoada, próspera, ser amado, ter uma família na Presença de Deus, todos querem, mas, para chegar lá é necessário sacrifício, é necessário nascer de Deus primeiro para depois vir as demais bênçãos que o Senhor promete na Sua Palavra. A cada luta, uma vitória, uma conquista, para que, seja estabelecida, é necessário ser de Deus para que não se coloque o coração naquilo que foi conquistado.

Deus sabe das nossas necessidades, mas, Ele deseja que venhamos conhecê-Lo para aí sim, viver em novidade de vida.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Bendita Tribulação



A alegria das conquistas materiais tem causado verdadeira sensação de bem estar. O relacionamento com Deus parece estar em dia. O fiel sente-se mais animado, mais estimulado na fé e até propenso a fazer a obra de Deus.

Mas, quando as tribulações começam a dar sinais, a alegria dá lugar à tristeza, a euforia esfria e a fé dá vez às dúvidas e lamentos. A disposição de servir a Deus se apaga.

Neste momento, sua confissão de fé é julgada. A cruz e o mundo ficam aguardando para onde ela vai pender. E é justamente aí que se define o tipo de fé que se tem.
Deus não nos tem dado fé apenas para o sucesso espiritual e material, mas também para os supostos insucessos. No mundo da energia sobrenatural, tudo coopera para o bem, tanto os ganhos quanto as perdas.

Afinal de contas, quem vive na dependência do Espírito Santo já morreu para este mundo. As lutas e dissabores enfrentados na Terra fazem parte do aprendizado do viver a vida pela fé.
Salomão é um grande exemplo dos prejuízos causados pela ausência de tribulações. Nasceu para reinar sem qualquer problema. E, por ter conquistado o coração de Deus, tornou-se o mais sábio da Terra. Ele foi poderosamente rico, não havia nada que sua alma desejasse e não fosse satisfeita.

Nem inimigos tinha.

Chegou ao ponto de enviar carta ao rei de Tiro dizendo: “O Senhor, Meu Deus, me tem dado descanso de todos os lados; não há nem inimigo, nem adversidade alguma” I Reis 5.4.

A história registra que a ausência de problemas tornou-se o maior e mais grave adversário de Salomão. A sensação de felicidade cristã pode tornar-se num inimigo mortal, haja vista que impõe relaxamento na fé e, consequentemente, frieza espiritual.

“Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas, a carne é fraca.” Mateus 26.41.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

O termômetro de um casal.

Como um simples beijo pode revelar o estado emocional de um relacionamento.

Respiração irregular, coração acelerado, pupilas dilatadas... esses são só alguns dos sintomas de um bom beijo, um dos gestos mais antigos da humanidade e que traduz muitos sentimentos.
As sensações contidas em um beijo são muitas, assim como seus significados. Durante um beijo, hormônios responsáveis tanto pela diminuição do estresse como pelo aumento da sensação de prazer são liberados.
Recentemente, um dos maiores sites de relacionamento do Brasil realizou uma pesquisa com 2,2 mil usuários e revelou aspectos interessantes sobre o beijo, tanto para homens como para mulheres. Mais de 80% deles consideram a qualidade do beijo na hora de decidir se continuam ou não em um relacionamento, e para a mesma porcentagem o beijo é fundamental em um relacionamento.
A pesquisa ainda revelou que o que mais atrapalha o sexo entre o casal é a falta de carinho, e nesse quesito muitas mulheres se queixaram que o beijo só costumava acontecer quando o parceiro queria sexo.
Temperatura baixa
No início do relacionamento, a vontade de beijar não cessava. Eram beijos intensos e apaixonados. Chegou o casamento e a rotina transformou todo aquela ardente demonstração de afeto em um simples beijinho de vez em quando, quase nunca.
É possível observar o beijo como um termômetro afetivo do casal. “Todas as formas de carinho são bem-vindas dentro do relacionamento conjugal para expressar a importância de um para o outro, sendo o beijo a principal delas, na minha opinião, pois é o que mais implica envolvimento afetivo. Ele tem o poder de despertar inúmeras reações, inclusive estimular o desejo sexual, conforme relatado no livro bíblico de Cantares. A história de amor vivida por Salomão e a Sulamita expõe o valor das carícias em um relacionamento, como citado: ‘ Beija-me com os beijos de tua boca; porque melhor é o teu amor do que o vinho’ (Cânticos de Salomão 1.2), destaca o bispo Domingos Siqueira, casado há 23 anos com Núbia Siqueira (foto ao lado).
O bispo ainda ressalta que o amor precisa ser cultivado todos os dias por meio de gestos carinhosos. “Não é porque estamos casados que não devemos revelar ao outro o quanto ele continua sendo desejado e amado. Investir no beijo, no olhar, no falar de forma carinhosa, torna o casamento como um banquete a ser desfrutado ao longo dos anos. Não caia nas ciladas da rotina, da correria e das pressões da vida, que lentamente podem esfriar seu relacionamento. O beijo é uma etapa importante que não pode ser pulada, senão há o risco de a mulher se sentir usada.” E ele dá uma dica: “Os casais não precisam ficar no ‘selinho’. Invista em ‘beijos calientes’, que os una cada vez mais em intimidade.”

Com eles é na base do beijo
José Carlos, de 46 anos, e Rita Silva, de 47, casados há 26 anos (foto ao lado), lembram que na fase do namoro e do noivado, que durou 3 anos, os beijos revelavam toda a paixão que começava. “Nosso beijo era como um vulcão em erupção. A gente não se fadigava de namorar”, diz José Carlos. “Era um beijo ardente, de esperança de uma vida a dois, uma certeza de ter encontrado a pessoa certa”, completa Rita.
Porém, com o casamento e o tempo, o vulcão pareceu adormecer. Ele revela que os beijos, que aconteciam em raros momentos de tranquilidade, demostravam toda a infelicidade que o casal vivia. “O beijo era muitas vezes mecânico, sem prazer. A separação era certa e eu passei a traí-la e desprezá-la.”
Para restaurar essa troca de carinho no dia a dia do casamento, eles tiveram que rever o que acontecia.  “As coisas começaram a mudar quando ela foi à Universal e passou a frequentar as reuniões. Foram alguns anos de perseverança dela e passei a ver que algo mudou no seu comportamento. Depois de tantos convites, aceitei ir, mas ainda muito desconfiado e cheio de preconceito.”
Quando fala de como estão hoje, José Carlos não poupa entusiasmo: “Hoje é só alegria.” E a esposa reitera: “Vivemos aproveitando cada momento, trocando carinhos, confidências, companheirismo, diálogos e, principalmente, beijos e mais beijos. Isso nós só temos hoje porque Deus alicerçou o nosso casamento. Edificamos nossas vidas na rocha em Cristo.”
Para o casal, o beijo consolida o prazer de estarem juntos e os fazem apaixonados a cada dia. O beijo significa a concretização de todo sentimento de um para com o outro.
E os filhos são testemunhas desse carinho o tempo todo. “São beijoqueiros mesmo, chega a dar nervoso de solteira”, brinca a filha mais velha do casal, Carolin, de 25 anos. “Para mim, vê-los assim juntinhos inspira confiança no que Deus fez na vida deles e eu quero para o meu futuro casamento.” O caçula da família, Carlos, de 19 anos, também percebe o valor de todo esse carinho: “Eu e minha irmã temos uma estrutura familiar e meus pais têm Deus como a base do casamento deles.”
Quer aprender mais sobre a vida a dois. Participe da Terapia do Amor. Saiba mais acessando http://www.universal.org/terapiadoamor/.
 

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Pela Fé, Revolta do Justo

Deus é Justo Juiz, Deus que sente indignação todos os dias. Salmo7:11



Por conta de sua natureza espiritual, Jesus era um Revoltado. E não poderia ser diferente. Afinal de contas, por ser possuído pelo Espírito da Justiça não se inclinaria ao reinado do injustiça.

Todas as pessoas possuídas pelo Espírito de Deus carregam em si a revolta contra os espíritos da corrupção espiritual e moral. Para os tais, é inadmissível ter o Espírito de Deus e, ao mesmo tempo, estar sujeito as injustiças que, no fundo, procedem do inferno.

A permissão Divina nisto não é sinal de Sua Vontade. Ao contrário, Deus tem permitido a ação dos inimigos da justiça para que Seus filhos, filhos da Justiça. venham se revoltar, lutar e prevalecer contra eles. Isso despertará a fé dos sinceros enganados. Fá-los-á ver que há Um Deus Vivo e Todo Poderoso pronto para lhes livrar. Foi assim no passado. A Terra Prometida não foi um brinde. Apesar de sua promessa garantida, ela teve de ser violentada. Isto é, sua conquista custou muitas vidas. Porém, à medida que os filhos de Israel davam um passo adiante, se apoderavam daquele espaço. A presença de Deus com eles não significava que a jornada seria fácil.

Hoje em dia, não é diferente. Comigo não tem sido diferente. Tão certo como Deus existe, sei que Ele é comigo. Porém, nunca, jamais e em tempo algum encontrei facilidades no meu caminho.

Há muitos anos, num belo dia, até reclamei, dizendo: Senhor, tudo tem sido muito difícil para mim. Tu sabes por quem luto e não te está oculto os meus objetivos. Por que tantas barreiras de injustiças? Naquele mesmo instante, O Espírito Santo respondeu: a luta é grande, mas a vitória é certa. Imediatamente recobrei as forças e parti para o tudo ou nada. Afinal de contas, não tinha e não tenho nada a perder.

Portanto, vai aí um recadinho aos meus perseguidores: eu vou arrebentar! E quaisquer que sejam as leis para tentar me impedir, elas servirão de apoio aos meus pés para subir mais alto ainda. E, se O Meu Senhor permitir que vocês me matem, saibam que as sementes plantadas frutificarão muito mais do que quando estava vivo.

Sejam abençoados os que assumem a fé viva no Deus Vivo!

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Acabou a Festa

Vós me buscareis, e não me achareis; e onde eu estou, vós não podeis vir.



Muitas são as pessoas que, apesar de crerem em Deus e até fazerem parte de uma denominação religiosa, se encontram envolvidas pelo espírito da "festa".

Quantas são as que baseiam a sua fé em emoções, música, mensagens eloquentes ou amizades com outros "irmãos"? Pessoas que ao ouvir uma música linda choram e dizem: "Deus está comigo!".

Infelizmente, essas são as mesmas que, no dia dos problemas ou em que falta a emoção, negam a fé e dizem coisas, como: "Deus não existe", " Deus abandonou-me" ou "a Igreja está fraca, pois não senti nada hoje".

Tal fé não tem poder para salvar. E por quê? Porque não tem qualidade. E não tem qualidade porque é baseada nas emoções.

No último dia da festa, Jesus se levantou e convidou os que tinham sede a virem até Ele e beberem. Enquanto a pessoa se mantém envolvida pela "festa", ela não consegue dar-se conta de que está sedenta, pois, na realidade, está embriagada pelas emoções.

Quando a pessoa rejeita as emoções e as coloca de lado, trocando-as pela razão, baseada na Palavra de Deus, O Espírito Santo a envolve, fazendo jorrar no seu interior a água viva.

Só que a água viva não é para todos. Não é para os que querem sentir. Não é para os que querem ver. Não é para os que querem emoções.

A água viva é somente para os que creem com diz a Escritura!

É verdade que, quando Jesus disse isso, não foram todos os que se alegraram. Uns O reconheceram como um profeta, outros como O Salvador. Porém, outros queriam mata-Lo.

Isso se repete nos nossos dias. Quando a Palavra é anunciada, uns a ouvem como algo interessante, outros se baseiam nela para tomar as suas decisões. Outros tentam calar os que a anunciam.

No entanto, somente os que se lançam sobre a Palavra(praticando o escrito), abandonando a festadas emoções, alcançam a verdadeira vida.

Esses provocam a verdadeira festa: a festa no Céu.

sábado, 24 de janeiro de 2015

“Eu não aceitava ver ele sentado enquanto eu trabalhava"

Você pode estar sendo como Eliana foi um dia: uma esposa que cobra demais do marido



Você já colocou a roupa para lavar na máquina, varreu toda a casa, organizou os quartos, estendeu a roupa no varal, limpou o banheiro, começou a preparar o jantar, tirou a roupa seca e passou tudo e ele continua lá, sentado em frente à televisão ou jogando videogame como se não houvesse amanhã.

Cansada fisicamente e também exausta daquela situação, você cobra um pouco mais de colaboração da parte dele. Afinal, cobranças fazem parte da vida: desde cedo os professores cobram bons resultados dos alunos, o chefe cobra um bom trabalho de sua equipe e por que você também não pode entrar na mesma onda e cobrar bom senso do seu marido?

A resposta é simples: porque você não é chefe dele, nem professora e muito menos mãe. Você é esposa. Na visão da psicóloga e terapeuta de casais Esther Kalb, cobranças são perfeitamente normais dentro de qualquer tipo de relacionamento para suprir a expectativa que temos em relação ao outro, mas, quando se trata de um casamento, as palavras devem ser muito bem escolhidas: “O parceiro é cobrado por coisas que ele nem sabia que a outra parte esperava. A falta de comunicação entre os dois é a principal culpada por muitas desavenças no casamento”, explica ela.

É dessa maneira que agia a confeiteira Eliana Alcantara da Silva, de 30 anos. Ela conta que sempre foi uma pessoa autoritária e, após se casar com o manobrista Sérgio José Pereira, de 32 anos, seu comportamento não mudou. O marido não ajudava a esposa em nada e passava o dia em frente ao computador. “Eu não aceitava vê-lo sentado enquanto eu trabalhava e logo cobrava com agressividade”, relembra ela.

Casados há 8 anos, ela conta que essa situação se prolongou por pelo menos 6 anos e virou uma bola de neve: o marido que não tinha atitude e a esposa que não sabia como cobrar dele uma mudança. “Quando eu mandava ele me ajudar, falava para que ele fizesse algo de útil. Ele sempre foi muito calado e não respondia. Ele começou a me dar gelo, vivíamos como irmãos”, conta ela.


Nenhum homem gosta de uma mulher que fale e cobre sem parar e de forma pedante em seu ouvido. Há maneiras mais inteligentes de resolver uma situação sem ter que começar uma guerra dentro de casa. “Quando as cobranças tornam-se intensas e agressivas, acabam envenenando o dia a dia do casal. Um relacionamento cheio de cobranças não é bom nem para quem é cobrado nem para aquele que cobra”, explica Esther.

Aos poucos, Eliana foi entendendo isso. Ela passou a frequentar a Universal, leu o livro "Casamento Blindado", best-seller de autoria de Renato e Cristiane Cardoso, e passou a assistir ao "The Love School", programa que vai ao ar sábados ao meio-dia, na Rede Record. “Eu sei que ele estava errado, mas descobri que também estava sendo, porque eu não respeitava o espaço dele e era muito autoritária nas minhas cobranças, falava alto, as pessoas diziam que eu parecia uma chefona brava”, conta. “Fomos aplicando as mudanças que aprendemos.

Ele viu que precisava ajudar mais em casa e hoje até o banheiro ele limpa sem eu pedir. Nos tornamos verdadeiros companheiros e transformamos nossa casa em um pedacinho do céu”, finaliza.

E se você também quer ter uma vida amorosa renovada, participe da Terapia do Amor. Saiba todos os detalhes das palestras em http://sites.universal.org/terapiadoamor/.